Lembranças

Ela corria desajeitada no largo gramado enquanto segurava seu vestido, pulando de pedras e desviando de poças d’água, era um final de verão típico daquela região. 

O vestido longo azul céu balançava contra o vento.

O sol era forte porém agradável, trazia a sensação de estar em casa. Aquela terra era abençoada, em especial pelo Amor que Ela cultivava. Era ali que queria viver sua vida, e viveria.

As tardes eram aproveitadas ao ar livre, deitada na grama com os pensamentos correndo por aí, sonhando, tomando sol, rezando na capela da fazenda e fazendo a manutenção da mesma.

 

Porém aquela agitação toda tinha destino.

Um homem alto, em seus vinte e sete anos, abandonava seu cavalo e andava calmamente na direção d’ela. De pele dourada e cabelos castanho claro bagunçados pelo vento – ele não gostava assim, mas sabia que ela gostava, então não fazia questão de pentear – sua barba bem desenhada, porém não exagerada.

Vestia calças escuras com botas sobrepostas, uma camisa branca um pouco larga de mangas longas e botões fazia par com um colete verde escuro aberto. A cena era completa por um casaco longo, que ficou para trás devido o calor.

Ela acelerou e Ele sorriu.

Seu peito aqueceu.

Ela o amava.