O escudo

Tudo ali era velado pelas sombras.
Entreguei seu destino ao sol, a lua e a balança entre os dois para que cada palavra fosse sagrada, cada decisão fosse a serviço do bem maior, para que a criança a minha frente se tornasse o homem que nasceu para ser.
A lâmina foi consagrada com o meu sangue, com o sangue dele e sob a benção daqueles que regem o todo, da egrégora que se formava pelos daqui e pelos de lá a criança aceitou seus deveres e jurou ser o cendro, a balança e o escudo, guardados pela espada.

Meu contato com um Pleiadiano

Ontem, enquanto navegava pela Netflix me deparei com um documentário narrando a história de um contatado.

Ler mais

Oferenda para acalmar os duendes ladrões de canetas Bic

Sabe quando a gente perde tudo dentro de casa ou simplesmente não consegue achar as chaves, mesmo elas estando na nossa frente?

Ler mais